sábado, 26 de setembro de 2015

(164) Bola de sabão...(Barcelona)

“Como é notável a leveza de uma bola de sabão. Pode voar, flutuar no ar e chegar perto das nuvens. A vida é uma bola de sabão; o dinheiro é uma bola de sabão; o sucesso é uma bola de sabão. E os reflexos sobre a bola de sabão são o mundo em que vivemos: tão belo, tão formoso, tão colorido, tão leve, tão alegre, tão suave…mas não passa de uma esfera oca que dura apenas um breve instante, até que alguém o destrua com um sopro. 
E no espaço, a bola de sabão sente o aroma das flores e das folhas, e voa sem rumo certo, sem saber aonde ir, indiferente aos ruídos do ar. É como se fosse um corpo sem alma, sem espírito, um coração sem pulsar, sem batimentos como o meu, uma vida sem amor…e voa levemente para lugares diferentes, encantando pessoas e fazendo crianças sorrirem. E sem medo da altura ou da imensidão do oceano, dança sobre ele e caminha livremente no céu, com vista para uma árvore, fugindo de umas mãos que a tentam alcançar, para não deixar de existir…” 

Sem comentários:

Enviar um comentário